Highslide for Wordpress Plugin

Educação

4 de setembro de 2018

Ideb de Extrema volta a subir e supera meta estabelecida pelo MEC

As escolas da rede municipal de Extrema ultrapassaram as metas estabelecidas para o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) nos anos iniciais (1º ao 5º ano) e finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental em 2017. Nos anos iniciais, o município teve índice de 6,6, quando a meta estabelecida para o ano foi de 6,2. Nos anos finais, a nota ficou em 5,6, acima da meta de 5,5. Mais do que apenas superar a meta, os dados divulgados pelo Ministério da Educação (MEC), nesta segunda-feira (3), revelam que os índices da educação em Extrema voltaram a subir.

Os números de 2017 ainda refletem um contexto de início de trabalho da nova equipe da Secretaria Municipal de Educação e o sistema de ensino antigo OPET. Com o novo sistema de ensino (Sistema SIM), foco nas capacitações/formações de toda a rede e demais ações voltadas à gestão por parte da Secretaria, a expectativa da Prefeitura de Extrema é de que os números do próximo Ideb, que será feito em 2019, sejam ainda melhores.

Os índices de Extrema, tanto nos anos iniciais quanto nos finais, mantiveram-se os mesmos entre as edições de 2013 e 2015. Os avanços obtidos na edição de 2017, considerando uma rede grande como a nossa e o grande número de alunos que migram de outras regiões do país para nosso município – em sua grande maioria com nível de defasagem significativo em relação ao padrão de qualidade de nossa educação – são motivo de muito orgulho para todos os profissionais, pois refletem a realidade de nossa educação, com dados fidedignos.

O Ideb foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

O índice também é importante por ser condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para a educação básica, que tem estabelecido, como meta, que em 2022 o Ideb do Brasil seja 6,0 – média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.