Highslide for Wordpress Plugin

Assistência Social

2 de março de 2017

Prefeitura de Extrema promove campanha para combater preconceito racial

A Secretaria de Assistência Social idealizou uma campanha para combater o preconceito racial, na próxima terça-feira, dia 21 de março é comemorado o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial. Este dia foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e a data escolhida é para lembrar o Massacre de Sharpeville.

Em 21 de março de 1960, em Joanesburgo, na África do Sul, cerca de 20 mil pessoas realizavam um protesto contra a Lei do Passe, que obrigava a população negra a portar um cartão que continha os locais onde era permitida a circulação de cada um deles.

Neste protesto morreram 69 pessoas e 186 ficaram feridos e em memória a este massacre a ONU instituiu o dia 21 de março como o Dia Internacional de Luta Contra a Discriminação Racial.

A legislação brasileira instituiu os primeiros conceitos de racismo em 1951 com a Lei Afonso Arinos (1.390/51) que classificava a prática como contravenção penal.

Somente a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5.º, XLII, é que classificou a prática do racismo como crime inafiançável e imprescritível, sujeitando o delinquente a pena de reclusão.

Confira algumas estatísticas apresentadas pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU:

– Das 16,2 milhões de pessoas vivendo em extrema pobreza no país, 70,8% deles são afro-brasileiros;

– Os salários médios dos negros no Brasil são 2,4 vezes mais baixos que o dos brancos;

– 80% dos analfabetos brasileiros são negros;

– Dos 56 mil homicídios no Brasil por ano, 30 mil envolveram pessoas de 15 a 29 anos. Desses, 77% eram garotos negros;

– No Rio de Janeiro, 80% das vítimas de homicídios resultante de intervenções policiais são negros;

– Estima-se que 75% da população carcerária no Brasil seja de afro-brasileiros;

– Em 2013, 66% a mais de mulheres afro-brasileiras foram mortas, na comparação às mulheres brancas.

Não queremos essa realidade para nossa cidade. Chega de preconceito!