Highslide for Wordpress Plugin

Cultura

21 de julho de 2017

Caio Fernando Abreu ganha homenagem na quarta edição do Festival Literário de Extrema

Entre os dias 18 a 20 de agosto, Sul de Minas Gerais reunirá grandes nomes da literatura brasileira contemporânea

Após três edições de sucesso, o Festival Literário de Extrema (FLEX) chega em seu quarto ano colocando em discussão o terreno subjetivo da palavra concomitante à realidade de nosso tempo, através do tema “Silêncio, solidão e outras tragédias”. E, por isso, estarão os grandes nomes da literatura brasileira contemporânea para um diálogo aberto com o público.

Em virtude do valor e da permanência de sua obra às novas gerações, o escritor gaúcho Caio Fernando Abreu é o grande homenageado desta edição. Seja como prosador, cronista ou dramaturgo, triunfam em seus textos desenfreado lirismo e pungência para falar sobre as relações humanas. Segundo Caio F.: “Não se arrancam palavras do nada: as palavras brotam de coisas e seres viventes”.

Entre os convidados deste ano estarão os escritores Paulo Scott, Ricardo Lísias, João Paulo Cuenca, Carola Saavedra, José Roberto Torero, Ramon Nunes Mello, Daniel Munduruku e Ronaldo Wrobel, além do cineasta Guilherme de Almeida Prado e a jornalista Paula Dip. O bate-papo será mediado pelo crítico literário e escritor José Castello.

Para o curador e organizador do evento, o cineasta Marcelo Spomberg, o FLEX trouxe uma ação intrínseca de uso do erário público, fazendo com que o evento trouxesse motivação para os estudantes e que os gastos nesse tipo de projeto tenham um cunho socioeducativo e uma mobilização para uma causa nobre e fundamental ao desenvolvimento humano, a leitura:

“Existe concordância entre os educadores de que a formação de leitores é uma das tarefas fundamentais da escola e da sociedade. De olhos no futuro queremos que o Festival Literário de Extrema estimule o hábito pela leitura e seja um meio de formação de leitores, com a certeza de que esse sonho passa pelo processo educacional”, diz Spomberg.

O curador revela que o evento também prestará uma homenagem ao escritor gaúcho João Gilberto Noll, que faleceu há poucos meses e era presença confirmada desta edição. Quanto à proposta de levar o universo de Caio Fernando Abreu para este ano, o curador comenta:

“Caio F. teve uma vida intensa, muito corajosa e também trágica. Possui uma obra marcada pelos altos e baixos de sua geração, mas que assombra pela intensidade atemporal dos temas que se comunicam com a juventude de hoje. Acho que o Brasil atual que a gente vive se encaixa perfeitamente com a proposta desta edição. Falaremos sobre o universo de Caio e também sobre a realidade brasileira contemporânea”, conclui o cineasta.

O crítico literário José Castello, que participou da última edição em homenagem a Clarice Lispector, comandará a mediação das mesas deste ano. Para o jornalista, animado para retornar à cidade de Extrema, o FLEX confirma o caráter radical e transformador – o caráter extremo – da literatura: 

“Em um momento tão adverso, no qual a literatura e a cultura são tratadas como dejetos inúteis, Extrema reafirma a potência da palavra e aposta, mais uma vez, em seu poder de transformação. A adversidade se torna possibilidade. O desprezo se reverte em luta. A paralisia, em mutação. Um festival que é, antes de tudo, um efeito da coragem. E no qual a literatura reafirma, mais uma vez, sua potência”.

Além das mesas principais, o evento contará com mostra de cinema, oficinas, games educativos, feira de livros e outras atrações que fazem parte tradicionalmente da programação.

O FLEX, que conta com a parceria da Secretaria de Cultura, da Secretaria de Educação da Prefeitura de Extrema e do projeto Rota das Letras, será realizado entre os dias 18 a 20 de agosto, com entrada franca.

 

Escritor da paixão, dono de um espírito vanguardista e livre: sobre o homenageado da 4º edição do Festival Literário de Extrema

Nascido na cidade de Santiago do Boqueirão, no interior do Rio Grande do Sul, Caio Fernando Abreu foi um verdadeiro cigano do seu tempo. Viveu entre Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, mudando de cidade quase sempre. Inquieto, sensível e atento ao mundo que se movia à sua volta, abandonou os cursos de Letras e Dramaturgia, que cursava na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, para trilhar o caminho das oportunidades, levando-o para as redações de vários veículos jornalísticos como: a revista Veja e os jornais Zero Hora, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo.

Jornalista, prosador, cronista e dramaturgo, assinou obras importantes na história da literatura brasileira contemporânea, que incluem: “Limite Branco” (1970), “O ovo apunhalado” (1975), “Morangos Mofados” (1982), Triângulo das águas” (1983) e “Os dragões não conhecem o paraíso” (1988). Foi premiado com inúmeros prêmios literários ao longo da carreira, entre eles: o Prêmio Jabuti de Literatura, nos anos de 1984, 1988 e 1996.

Perseguido pela ditadura militar, o autor precisou se exilar na Europa, vivendo em países como: Espanha, Suécia, Londres e França. Na volta, estabelecido como escritor no Rio de Janeiro e com uma obra consistente, se tornou um nome reconhecido pelo grande público. Seus temas abriram a cortina para assuntos como: sexo, morte e solidão. E até hoje Caio Fernando Abreu é aclamado pelas novas gerações, que encontram em sua literatura os sentimentos e anseios de toda uma juventude que, mesmo distinta pelo tempo e espaço, é verdadeiramente atemporal.

Confira os destaques da programação principal do 4º Festival Literário de Extrema:

 

Sexta-feira (18/08)

 

10h30 às 12h30 – “Homenagem a Caio Fernando Abreu”

 

Convidados: Guilherme de Almeida Prado, Paula Dip, Ramon Nunes Mello

Mediação: José Castello

 

 

14h às 15h30 – “Promessas e lembranças”

 

Convidados: Ricardo Lísias e Ronaldo Wrobel

Mediação: José Castello

 

 

17h às 18h30 – “Rompendo o silêncio”

 

Convidados: João Paulo Cuenca e José Roberto Torero

Mediação: José Castello

 

 

Sábado (19/08)

 

10h30 às 12h00 – Histórias de índio

 

Convidado: Daniel Munduruku

Mediação: José Castello

 

 

14h30 às 16h00 – “Rompendo a solidão”

 

Convidados: Paulo Scott e Carola Saavedra

Mediação: José Castello

 

17h00 às 18h30 – “Falando francamente – Cinema adaptado”

 

Convidados: José Roberto Torero e Guilherme de Almeida Prado

Mediação: José Castello

 

Domingo (20/08)

 

10h30 às 12h00 – “Poesia da fé”

 

Convidados: Christian Dunker e Monja Coen

Mediação: José Castello

 

 

3ª Mostra de Cinema de Extrema

 

Sexta-feira (18/08)

 

20h- Documentário “Pra sempre teu Caio F.”

Direção: Candé Salles

 

Com a presença da roteirista do filme, a jornalista Paula Dip.

 

 

Sábado (19/08)

 

20h- Longa-metragem “Onde andará Dulce Veiga”

Direção: Guilherme de Almeida Padro

 

Com a presença do diretor do filme, o cineasta Guilherme de Almeida Prado

 

 

Tanto a mesa dos escritores quanto a mostra de cinema serão realizados no Clube Literário de Extrema, localizado na Praça Presidente Vargas, no município de Extrema, no Sul de Minas Gerais.